quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A reação das pessoas quando você diz que são gêmeos


A minha mãe sempre me falou como era dizer "estou grávida. E de gêmeos". As pessoas têm as mais diversas expressões faciais e soltam comentários muito engraçados.
Mas na época dela, há trinta anos atrás, era um pouco mais diferente. O deslumbre era a maior reação.
Ainda existe! Gravidez gemelar chama a atenção das pessoas. Elas ficam curiosas, olham a barriga, ficam indignadas pensando: "têm dois aí dentro?!! ,perguntam como são as sensações, pensam como estarei aos 8 meses, etc....
Gêmeos nascidos também chamam a atenção. As pessoas ficam olhando a dinâmica acontecendo quando são dois bebês ao mesmo tempo. É bem legal!
Mas essa semana, que retornei ao trabalho, dei a notícia oficial à escola, aos alunos e aos pais deles. As reações são incríveis.
Algumas mães vieram até a porta da minha sala (eu em aula), antes mesmo de darem parabéns, me dar telefones de babás e enfermeiras especializadas em gêmeos! Hahahahaha...
Duas dessas mães, tiveram gêmeos. Uma delas chegou a ter três babás!!! (meu Deus)
Outras, me disseram : "não dou conta nem de dois, como você fará com três e dois bebês ao mesmo tempo?".
As crianças - as meninas, mais especificamente, reproduzem aquilo que as mães fazem ou falam em casa: "Professora, você terá três filhos!!! Que trabalho!!! Você vai ter alguém pra te ajudar?"
Ontem, uma aluna chegou a dizer que a mãe disse : "Nos dias de hoje, querer três filhos é loucura!" 
Uma mãe procurou uma professora, amiga de trabalho minha, pra deixar  as preocupações DELA, hahahahaha...essa foi a melhor!!!
A minha amiga veio dizer depois, que a mãe teve dó de mim. Que sou tão novinha pra tantos filhos (30 anos! kkkkk), que sou pequena pra suportar gêmeos, que vou enlouquecer com três filhos, que eu preciso de ajuda e que ela (a professora) deveria me convencer disso!
Hahahahahahahahahahahahahaha

Antes mesmo da escola, eu e o Luiz já ouvíamos bastante a questão da necessidade da ajuda.
O que mais assusta as pessoas,na minha visão, não é nem ter os gêmeos. Mas sim ter a quantidade de três filhos.
Embora a Liz faça quatro anos, na semana que os bebês estão previstos para nascer, ela ainda é uma criança, com necessidades diferentes das que terão os bebês. Tem gente que diz (algumas, poucas pessoas) "ela já vai estar grandinha e independente" e não é isso que importa. Afinal, autonomia ela já tem há um tempo. Ninguém lembra, quando a criança se torna um irmão mais velho, das outras atenções que virão. A divisão de companhia, a vontade de brincar só com a mamãe e ela não poder, o desejo de sair a qualquer hora com os pais e eles estarem na função do bebê menor...e outras tantas coisas mais!!!
E isso talvez, apavore as pessoas que se colocam em meu lugar.
Pois como eu digo a elas. Não sou ingênua de achar que tudo vai ser tranquilo. Até mesmo por ouvir a história direta da minha mãe, que teve a mesma experiência que terei, de três filhos, sei bem o que vem pela frente!
Dificuldades extremas, coisas que só acontecem numa maternidade de gêmeos.
A minha mãe diz ainda, que quando ela teve os gêmeos, eram os dois e nenhuma criança mais. O meu irmão mais novo veio depois. E só quando ele nasceu, que o bicho apertou bem!
Antes, ela passava sufoco de fazer tudo pra dois ao mesmo tempo. Mas quando nos tornamos três, cada um tinha sua necessidade e ela disse que quase não dormia e não comia. E pela visão dela, acha que as minhas dificuldades serão ainda maiores pelo fato dos meus gêmeos já nascerem com uma criança em casa.
Então, estou ciente de tudo. E sei que estando tranquila, estarei  disposta a receber a ajuda das pessoas que me amam e que vão amar meus filhos: família e amigas!
Eu mesma tento tranquilizar as mães de alunos e as outras pessoas que me encontram na rua, me param e me desesperam.
Percebo que hoje em dia, a soma de filhos é um ato de coragem. Ter dois filhos, virou uma missão que muitas delegam para a terceirização: babás e ajudantes.
Falta paciência, amor, dedicação, vocação maternal!!!
Por isso, na hora de ver casos como o meu, mais difíceis nos dias de hoje, o desespero toma conta. E não a alegria de reconhecer nessa história o que eu reconheço a cada minuto: que é uma benção de Deus receber essa dádiva de gerar filhos! De ter filhos! De querê-los em dois, três, quatro!!  Uma casa cheia de agito sim,  noites em claro, choro sem fim, gritaria, briguinhas de irmãos, correria, falta de silêncio....mas uma casa repleta de amor plantado e cultivado!
Filhos são um dom que cada mãe recebe, na quantidade e no jeito que Deus escolheu!
Só  devemos agradecer!!!

Um comentário:

Anônimo disse...

Oii Renata.
Adorei seu blog. achei ele fazendo pesquisa de coisas de pedagogia. mais confesso que ao ler a postagem tambem fiquei em choque por vc, rsrsrs...
Eu tenho dois meninos e ja surto com eles, diferença de idade de 1 ano e meio, você com tres e gemeos ainda, foi mesmo abencoada....ainda bem que Deus sabe pra quem dá. mais logico que vc ta certa as pessoas ficam muito desesperadas hj e não precisa ne.....basta ter calma que td da certo no final.
boa sorte. bjs