quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

 Dois anos. Berçário III, novas atividades, 90 cm, 14 kg, cabelos longos, conversando direitinho ( saindo da  escola todos os dias e me detalhando tudo), uma personalidade tranquila, dócil, parecida fisicamente comigo e intelectualmente com o pai. Emocionalmente com os dois. Apaixonada por culinária, leitura, morangos e quiwis!!! Sua cor preferida é azul e não rosa. Maravilhada em cuidar de bebês, concentrada em viver situações de faz-de-conta...
E eu poderia passar dias aqui falando das peculiaridades da minha filha!!! Mas aí estaria revelando tudo aquilo que ela mesma já consegue dizer! Que assim seja!!!

#meuorgulho #feliZidade
Essa semana minha ajudante, que vem as segundas e quintas-feiras, me viu espremendo laranjas, montando sanduíche para a lancheira da escola, dando atenção pra Liz que estava fazendo desenhos para mim e a Petit, fazendo o almoço.... Tudo ao mesmo tempo. E aí ela perguntou no que eu queria ajuda. Engraçado é que desde quando ela começou a trabalhar em casa (há 2anos) , sempre deixei claro que a única coisa que ela não faria de jeito nenhum, era olhar a Liz pra mim. Não por falta de confiança. Mas porque essa função foi meu sonho desde a adolescência. Eu nunca deixaria uma pessoa exercê- la por mim..  E no que se refere a "cuidados com a Liz", entendo que fazer o lanche dela, a comida dela, cuidar das suas roupas, tudo isso está incluso na minha função mãe.  Então dei uma risadinha e só respondi:,está tudo bem.
Depois me peguei pensando que eu não só dou conta de tudo, como graças a Deus tudo sai muito bem feitinho. Meu almoço, meu jantar, minhas roupas, a lancheira, o meu tempo com a Liz...
Que além de ter que fazer  tudo isso, todos os dias, ainda conseguimos sair nós duas e resolver um monte de coisa na rua. E que quando saímos, cantamos bem alto no carro todas as musicas do frozen, que nos beijamos na fila do supermercado sem parar, que fazemos vozes malucas no banco, no açougue, que brincamos de moda nos provadores das lojas....que as pessoas olham para nós e percebem a nossa felicidade.
Minhas mãos vivem cheirando alho, meu banho vive sendo de cinco minutos, minha manhã em casa vive sendo breve, minha hora de me vestir vive sendo dez minutos antes de ir trabalhar, meus batons vivem abertos e usados por uma boquinha de coração, o rosto da minha ajudante vive espantado com a minha correria e minha decisão de não querer auxílio na função mãe, dividida com a função mãe- coZinheira . Pois isso é fato. Só quem cozinha todos os dias sabe o quanto a cozinha requer tempo e dedicação. No meu caso, foi uma opção. Quero que não só a Liz, mas toda a minha prole que vier sinta pra sempre o meu carinho  e amor maternais, mas também o sabor da comidinha da mamãe!! #priceless

E é assim que eu sei quão forte, disposta , feliz, realizada e madura a maternidade me tornou!!!!

Obrigada, meu amor!!! Minha Liz!!!

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Tanto tempo sem vir aqui, eu não podia simplesmente chegar num breve resumo dos meses porque gastaria dias pra fazer isso- não sei resumir tanta coisa feliz - por isso, a única inspiração de voltar ao blog provando que não o abandonei e que ainda amo o meu espaço , é decifrando mais ou menos quem eu me tornei ao longo de dois anos. Mais ou menos porque nada se define nem se decifra quando estamos falando de seres humanos, mais precisamente seres  "humães". Sim. Uma ser humãe!!                                                                                                                                                    

Algumas Coisas que eu valorizei sendo mãe:
Guardar o carrinho do supermercado ao colocar as compras no carro, lá de volta na pilha de carrinhos e não do ladinho.  Isso é respeito com quem vai parar a próxima vez, exemplo que você dá ao filho e acidentes que você evita.

Deixar a vigilância sanitária entrar na sua casa a qualquer hora. Por preguiça podemos simplesmente não atender ou se recusar a aceitar a visita.  E com criança em casa, a última coisa que você espera é doença. Não só deixo a visita acontecer, como tiro dúvidas, peço dicas e topo ser entrevistada.

Comer comidas frescas todos os dias. E bem coloridas.

Se marquei compromisso e não posso ir, desmarco bem antes. Se não consigo desmarcar por algum imprevisto, compareço pessoalmente para me explicar. Sendo mãe, aprendi da importância do planejamento das coisas. Imagina alguém "furar" comigo que tenho uma criança que depende de mim pra tudo, e em todas as horas?!

Não gastar à toa. Dinheiro, roupa, energia...

As belezas da natureza. Antes de ser mãe, já amava a natureza sem tirar nem por. Mas sendo mãe, aprendi ver o céu mais azul, as plantinhas mais verdes e vivas, o mar maior!!!

O silêncio. Aprendi que atrás de um silêncio, mora um leitor apaixonado, um corpinho que descansa e cresce, uma alma que repousa e um pensamento que se enche de imaginação e criatividade....


Tanta coisa mudou em mim!!! Tanta coisa eu aprendi e aprendo! Ser mãe é mudar a ótica da vida!!! Nesse prisma, o mundo é cor-de-rosa!!!