quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Saudade do Natal que ainda nem chegou!



Daqui poucos dias, eu vou sentir saudade das luzes que piscavam nessa época, das árvores carregadas de enfeites simbólicos, dos shoppings decorados do começo ao fim de verde e vermelho, das duzentas e vinte nove vezes que a Liz pegou fila pra falar com o bom velhinho, das músicas com sininhos ao fundo e das cantadas centenas de vezes ao dia por ela, como o "pinheirinho de alegria", "bate o sino pequenino" e "vem, está chegando o Natal".
Vou sentir falta do tender marinando no temperinho delicioso, já no dia 23, do cheirinho da leitoa na mesa, bem típica na minha família, do peru, das frutas secas e cristalizadas, gerando um debate sem fim entre as famílias: "uva passa estraga ou uva passa é tudo" (risos).
Vou sentir saudade da gente se arrumando de maneira ainda mais caprichada para esta noite tão genial, dos comerciais emocionantes transmitindo mensagens lindas e tocantes, da espera pela chegada daquele que tanto promete trazer alegria e tornar essa data mágica para todas as crianças do mundo; das brincadeiras engraçadas e das sem graça também, de amigo secreto..."meu amigo secreto é alguém muito especial", hahahahaha...
Vai dar saudade das nozes, das uvas, que nesse dia, têm um sabor diferente do que do resto do ano (risadas), dos panetones e chocotones, da missa de galo,  da contagem regressiva, do sono que dá depois que chega a meia noite por termos esperado tanto, da alegria que é acordar no dia 25 e almoçar as sobras requintadas e REQUENtadas!, hahahaha, mas é realmente muito boa a comidinha "cristã" no dia seguinte! Huuummmmm....
Daqui poucos dias, vou ter saudade desse dia da foto, em que acordamos radiantes com a aproximação dessa tão importante data. Fomos passear, comprar o último presente que faltava para amanhã , dar banho na Petit, ficamos uns 15 minutos dentro do carro, tirando mil fotos e fazendo mil vídeos para o papai (e ele para nós, lá do escritório dele), rimos até doer a barriga!
E inclusive, na foto a Liz está dando a mais gostosa e empolgada gargalhada!
Era a felicidade de uma anti véspera de mais um Natal!!!
Daqui poucos dias mesmo, tudo isso vai me trazer uma imensa saudade, daquelas que doem o coração!
E aí voltarei a esperar ansiosamente, o ano inteiro, por mais um dia vinte e cinco de dezembro!!


terça-feira, 8 de dezembro de 2015



Liz,

Ontem você assistiu pela primeira vez, o vídeo do seu nascimento. Viu absolutamente tudo!
O procedimento cirúrgico, os primeiros cuidados com você, a mamãe te vendo pela primeira vez, seus olhinhos se abrindo forte, seu primeiro choro...
Foi intenso ver suas reações, do começo ao fim. 
Primeiro você se assustou ao ver o médico cortando a minha barriga e "cavando" até te achar. Sua carinha ficou com a expressão confusa e tensa.
Quando você saiu de dentro de mim, olhei para seu rostinho e vi lágrimas escorrendo. Aí você chorou mais forte e me abraçou.
O pediatra e a enfermeira te levaram para pesar, medir, limpar. E você não gostou de ver os dois te deixando chorar, tremendo de frio e medo e pior; cortando metade do seu cordão umbilical. Senti que você percebeu que foi feito um corte no nosso vínculo uterino. A ruptura é forte! =(
  Logo ouvi sua  indignação: - Eu não quero mais ver!!
Então te encorajei a continuar assistindo, te explicando que era assim mesmo que acontecia com todos os bebês!!
Quando você voltou para os meus braços e eu te dei um beijo, você voltou a chorar em silêncio. E eu também chorei, pois me emociono todas as vezes que assisto esse filme tão maravilhoso, o filme da minha vida!!
A gente se abraçou e vivemos aqueles minutos de emoção juntinhas, eu e você, três anos depois daquele dia registrado no vídeo!!
Quando a enfermeira te levou sozinha para a incubadora do berçário, novamente você sofreu a dor da separação entre nós duas.
E por mais uma vez, precisei te explicar a duras penas, como funcionam as coisas.
Hoje você quis rever o filminho junto com o papai e sua percepção já mudou bastante. 
Os impactos e sustos se desfizeram e você já lidou melhor com os momentos de ruptura entre nós.
Fiquei muito emocionada com tudo isso.
E ao mesmo tempo, muito sentida de ter que explicar sobre as vezes em que nos separamos.
Isso me dá ainda mais a certeza de tentar, futuramente, um parto diferente do que foi o seu. Não precisar viver esses pequenos, porém dolorosos  minutos de distâncias entre mãe e bebê.
Mas de qualquer forma, a emoção que vi em seus olhos em se ver chegando ao mundo....isso não tem explicação!!
Eu te amo tanto, mas tanto, minha filha!!!

domingo, 29 de novembro de 2015



 Liz : - Mamãe e papai,o que é lei?
Mamãe: Lei é uma regra. É obedecer alguma ordem.
Papai: - Lei é quando a gente precisa seguir alguma coisa, é quando a mamãe fala que é hora de dormir, você tem que seguir!

Risos!!
Essa é a Liz.
Esses somos nós três juntos.
=)

quarta-feira, 18 de novembro de 2015





Azul!
É o céu, é o mar. 
Azul!
A cor de seus olhos!
O azul mais profundo e claro que um azul podia a mim, se apresentar!
Assim são seus olhos, filha!
A mamãe saiu da letra rosa e azulou tudo por aqui!!
Azul hoje ,é a cor que me ilumina e acalma através do seu olhar.
Minha cor preferida, para sempre!






Deus é quem determina a estreia da vida.

( Uma frase que escrevi hoje numa cartinha, inspirada pelo Espírito Santo)  

segunda-feira, 16 de novembro de 2015



"Vejam: Eu andei pelas vilas, apontei as saídas como o Pai me pediu
Portas eu cheguei para abri-las, eu curei as feridas como nunca se viu.

Por onde formos também nós que brilhe a tua luz
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz, queremos ser assim
Que o pão da vida nos revigore em nosso "sim"

Vejam: Fiz de novo a leitura das raízes da vida que meu Pai vê melhor
Luzes acendi com brandura, para a ovelha perdida não medi meu suor

Vejam: Procurei bem aqueles que ninguém procurava e falei de meu Pai
Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver escrava de um poder que retrai

Vejam: Semeei consciência nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim
Tramas, enfrentei prepotência dos que temem o novo, qual perigo sem fim

Vejam: Eu quebrei as algemas, levantei os caídos, do meu Pai fui as mãos
Laços, recusei os esquemas, Eu não quero oprimidos, quero um povo de irmãos

Vejam: Procurei ser bem claro; o meu reino é diverso, não precisa de Rei
Tronos, outro jeito mais raro de juntar os dispersos o meu Pai tem por lei

Vejam: Do meu Pai a vontade eu cumpri passo a passo, foi pra isso que eu vim
Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao fracasso eu mantive meu "sim"

Vejam, fui além das fronteiras, espalhei boa-nova: Todos filhos de Deus
Vida, não se deixe nas beiras, quem quiser maior prova venha ser um dos meus."




*
Essa letra/ música fala muito no ouvido do meu coração!!
Responde tudo aquilo que minha cabeça não se aquieta em perguntar!!
Deus é meu MUNDO!!

domingo, 25 de outubro de 2015

segunda-feira, 19 de outubro de 2015



Hoje, tudo o que eu mais queria era o colinho da minha mãe!
Ainda não me acostumei com a realidade dela morar longe.

Mãe!
Só você poderia me acalmar nesse dia tão intenso que foi hoje!





Novo viciozinho em família, daqui de casa!!
" Vamos ver a Thali, mamãe" - diz a Liz tão empolgada quanto eu.
Papai também adora!
;)

sábado, 10 de outubro de 2015




"Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you have a choice
You've made it now."

quarta-feira, 7 de outubro de 2015








- Como foi o passeio, filha?
- Mamãe, eu vi "quelo-quelo", papagaio, a vaca lá longe, comi amora e cuspi só um pouquinho, mas depois eu gostei e comi "muuulllto" . Meu lanchinho tinha pão de queijo, banana e suco de uva. Eu comi com meus amigos, fui na "hota", meu pé sujou tudo, olha! (tirou o tênis e mostrou a meia que foi branca e voltou marronzinha da silva, hahaha ), o passarinho tava preso e não pode a Ana Rita falou.  O "ôbinus" foi muuulllto divetido, sentei com a Ana Rita e ela tirou foto dela comigo.
 Eu andei com meus amigos na floresta, ajudei a levar a caixa das "vedulas", usei boné e a Ju passou "potetoi" em mim.
Foi muuuuulllllto divetido"

E só não contou mais, porque dormiu meia hora depois  que chegou em casa.
Exaustão de felicidade!
=)

terça-feira, 6 de outubro de 2015




Tão pequena e já vai passear sozinha com a escola!!
Que amor!!
Amanhã, será um grande dia, nessa "semana da criança".
Será seu primeiro passeio com a escola, filha!! Você, seus amigos e suas professoras.
Um ônibus, uma "micro viagem", um tour pela chácara das Ursulinas, alegria, explorações, novidades, tanta coisa numa só tarde!!
Meu coração vai estar em uma festa gigante, sabendo como você estará feliz!
Só de te ver ansiosa há vários dias, falando o que você  faria na chácara,o que teria lá, como seria, já fiquei emocionada!
É muita emoção para um coração materno só!!

domingo, 4 de outubro de 2015


"...Vivo num mundo, cheio de gente fingindo ser o que não é. Mas quando estou com você, sou quem eu quero ser..."

Cindy, a Liz te ama!
E eu também!

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Rubem Alves - A Escola Ideal - o papel do professor




Dias depois de ter escrito esse post aí debaixo, tivemos um curso importantíssimo na escola, com a Talita, que estendeu as minhas palavras sobre a "vocação". Nem acredite, ao reler meu blog! Foi a confirmação do que eu senti no dia que sentei para escrever o que o meu coração pediu!
E ainda por cima, ela  nos deixou esse trecho de falas riquíssimas do saudoso Rubem Alves, que também falou coisas que pensei e escrevi ali.
Satisfação!!!


segunda-feira, 21 de setembro de 2015




Transcende a psicologia!
Ser professora de criança é simplesmente lidar com todas as emoções e reações ao mesmo tempo!
É lidar com dúvidas, anseios, inseguranças, certezas, brincadeiras, machucados, dor de barriga, joelho sangrando, caca de nariz, com falas como "quem soltou um pum, ele não quer ser mais o meu amigo; ela me chamou de boba ; o que é pra fazer nessa tarefa (depois de explicar dezessete vezes); tô com tosse, tô triste, tô feliz, tô com fome, meu cachorro está doente, meu irmão me bateu , meu pai falou para minha avó que a Dilma rouba , minha mãe contou pra mim que o coelho da páscoa não existe , meu amigo está chorando porque contei isso pra ele..."
(e tantas, tantas coisas mais...)

Ser professora de criança é nunca conseguir sentar. É ficar em pé o tempo todo, atenta a tudo, dando conta de explicar novecentas vezes a mesma coisa, pedir capricho oitenta vezes, silêncio um milhão e meio de vezes, é vistar agendas, mandar recados, bilhetes, corrigir atividades e tudo isso junto com aquelas falas lá de cima. É ir fazendo tudo isso ao mesmo tempo que você escuta essas falas brilhantes e inocentes!! É preciso rapidez para escrever algo sério ou corrigir atentamente a atividade, enquanto se escuta que o "amigo o chamou de bobo, que o pé está doendo, que a mamãe mandou cookies de lanche..."
E o mais importante. Corrija, escreva, escute e responda!!! Tudo no mesmo minuto!!
Essa é só pra quem pode! hahahaha

Professora de criança fala a mesma pagina, dá a mesma bronca e faz a mesma atividade oitocentas e cinquenta e nove vezes. Perde a voz, perde a necessidade de sentar e fazer xixi , mas nunca perde a concentração. Se perder, perde-se uma aula toda de muito esforço.
Uma aula de cinquenta minutos, funciona assim: dez minutos de chegada - organizar lugares, separar quem conversa muito com quem, cantar, motivar, entusiasmar, ter a atenção plena da sala.
Dez minutos de explicação da atividade, levando em conta que você explica mesmo em três. Mas sete, são as perguntas frequentes :"não entendi, o que é pra fazer".
Vinte minutos são para a execução da atividade.Mas são vinte minutos com as falas lá de cima , de novo, mais as dúvidas, mais as idas ao banheiro, mais os passeios que as crianças adoram fazer para pedir material do amigo emprestado, as idas até a professora à toa (isso tudo quando a professora está mais liberal), quando não, é o tempo todo falando :"vamos sentar, vamos trabalhar, volta para  seu lugar, olha a conversa, vamos parar de falar, cadê a concentração, não quero mais chamar a atenção...e etc, etc, etc"
E falamos isso, ao mesmo tempo que estamos naquela sequência: corrigindo, escrevendo, escutando e respondendo! Mais uma! hahahhaha
Dez minutos finais são apenas para organizar o material - fechar livros, arrumar estojo, guardar tarefas, manter os lugares limpos e arrumados - montessori e cantar uma música de despedida.
São os cinquenta minutos mais rápidos e difíceis do mundo!
Naqueles vinte, a professora busca o silêncio absoluto, a concentração completa e até chega a existir picos de "aula ideal", mas logo a necessidade de uma criança especial fala mais alto, logo um amigo fala algo fora do assunto da aula, logo uma criança tira a atenção da outra, logo o estojo que cai no chão - e ele cai TODOS OS DIAS, hahahaha- faz a sala toda se agitar.
É como apagar um incêndio aqui e falar "ufa", mas em fração de segundos, outro incêndio acontece a dois passos de você, e outro, e outro, e todos! Haja água! kkkkk

Tem tudo isso, junto com todas as cartinhas sinceras de amor das crianças, os olhares apaixonados, a admiração, a inocência, os pensamentos puros, a energia, que é muita, mas mantém a gente sempre jovem e perspicaz.
Crianças trazem com elas, um espírito leve, que dá justamente a leveza à vida de uma professora que precisa ter toda essa dificuldade da dinâmica da sala de aula, mas que tem a recompensa da alegria do sorriso de um infante!
Temos a graça - nós, professoras de crianças, de estarmos rodeadas de anjos, onde não existem injustiça, inveja, rancor, maldade, falsidade, competição...
Elas simplesmente vêm de alma e coração para nos ensinar, mais do que aprender!!

É realmente o amor por tudo isso que leva alguém a entrar e continuar nessa atuação dificílima.
Porque o amor traz a resposta. Apesar de difícil, é recompensador!
Não há distâncias físicas e emocionais, não há barreiras humanas quando se é professor de criança por escolha!!!
E não é só o ensinar aquilo que já está nas linhas de cada livro!
Mas o educar para amar! Amar ao educar!
Isso se chama VOCAÇÃO!
É algo para poucos!

Obrigada meu Deus, por eu ser vocacionada!!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015



Se eu tivesse que sintetizar em uma só palavra tudo o que senti hoje, a palavra seria plenitude.
Foi um dia pleno de alegrias e encontros fantásticos.
Pleno de vida.
Pleno de amor.
Pleno de abraços, beijos e carinho.
Comecei o dia ao lado da Rô, fazendo reunião de trabalho e ali mesmo, pude sentir a  plenitude da nossa incrível parceria. Sinto isso todos os dias, mas é a cada "evento" da escola(uma reunião, uma apresentação, um curso) que eu consigo ter a profundidade dessa amizade que faz de nós duas, uma só dentro do trabalho. Afinidade e cumplicidade absolutas!
Logo depois tivemos cinco minutos de um feliz momento, esbarrando na Bi, dentro do colégio. Beijinhos, cheirinhos, grudinhos nos corpinhos, foto e bye-bye! (Que pena que é preciso dar bye-bye)

À tarde foi um sonho, reencontrar a Fabi GRÁVIDA de dez semanas. Ver nos olhinhos dela a alegria em gestar, as expectativas de esperar...
Ver uma amiga grávida não tem preço! É felicidade inenarrável.
E foi delicioso ficarmos eu, ela e a Rô, tomada pelas crianças, num clima de agito e euforia!
A Fazinha será uma mãe maravilhosa!!!

No fim do dia, ainda recebemos a graça de poder ver a Cá, o Dudu e o Dan!!!
Que satisfação, meu Deus!!! Nem acredito ainda que pudemos nos reencontrar, em minutos de muito amor e comunhão!
Vieram cansados, exaustos, mas fizeram questão de vir!!
Como eu poderia agradecer esse dia, tão iluminado? Tão pleno de momentos de emoção...
Picos de felicidade, explosão de energia, fusão de amor com saudade, encontro e despedida!!
Ah, quanta vida num só dia!!!
Obrigada a vocês todas: Cá, Rô, Fá, Bi...por proporcionarem ao meu dia e ao da Liz, um dia mais colorido, um dia especial...um dia PLENO!
Na oração da noite, que fiz agora pouco com a Lilizoca, durante os agradecimentos, ela disse:
- Obigada Jesus, porque o meu dia foi divetido e meus amigos vieram na minha casa."
Aí complementei: e as amigas da mamãe também.
Liz: as amigax da mamãe também e o bebê da barriga!!
Ownnnnnn!!!!

Obrigada, Senhor Deus!
Obrigada por confiar a mim, essas ilustres e perfeitas amigas.
Amo vocês, PTKS!!!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015





Foi da noite para o dia, sem o menor esforço ou sem que eu tivesse tocado no assunto.
Simples assim, a Liz não quis mais a mamadeira.
Eu não tinha ainda começado o processo de desmamar porque não consigo enxergar malefícios na pobre da mamadeira. Pelo contrário. A sensação de "mamar", me traz aconchego, acolhimento, relaxamento,gratidão pelo alimento. Um bebê ou uma criança que mama, faz isso com tanta vontade e felicidade que é impossível encarar a cena como algo ruim. 
A questão da idade também é outro fato, que assumidamente não encontro dificuldades. Claro que uma criança de oito, dez anos que mama(o que hoje é raro), não é uma coisa clara, para mim. Não consigo compreender porque nessa idade, a criança ainda não se desvinculou da mamadeira. Seus interesses são outros nessa fase.
Mas condenar a criança de quatro, cinco anos que ainda mama é um pouco de exagero.
Os danos que a mamadeira causa aos dentes, mordida, etc, isso já é outra questão também. É a tal da "relatividade". Conheço quem nunca mamou, nem usou chupeta e usou aparelhos. E o contrário também. Mas é logico. Não sou eu quem vai dizer que mamar por muito tempo é lindo, saudável e necessário. Eu só acho que existem diversos hábitos realmente ruins e danosos à vidinha de uma criança. Mamar é tão de menos... 
Mas...ainda que eu seja relax para esse assunto do mamar, minha filha tomou sua decisão sozinha, aos dois anos e sete!
Da noite para o dia, quando preparei uma mamadeira, ela disse: "Quero leite com chocolate no copo."
Ela dava, de vez em quando, umas goladinhas do meu leite (porque eu AMO leite e toda hora tomo um copo, hahaha), mas nunca quis substituir a mamadeira de fórmula, por leite de vaca com toddy- que é o achocolatado que eu mais gosto.
Não recusei e fiz o que ela pediu. Assim foi na hora de dormir, no dia seguinte, no outro e no outro.
Virou uma vida nova! O copo em si,é o de menos. E olha que ainda corri para comprar copos legais para ela tomar o seu leitinho. Mas foi em vão, porque cada dia, pode ser num copo diferente, com, sem canudo, aberto, fechado, de criança, de "adutu", tanto faz! O que vai dentro desse copo é o que importa. Um leite geladinho com uma colher de toddy! Hummmmm....
A chupeta, não contei por aqui. 
Mas também foi outra questão muito tranquila, que não levaram três dias!
A escola pediu que as crianças pudessem voltar  das férias, desapegadas da pepê.
Fiz meu trabalho em um dia e funcionou demais! Foi uma despedida sem choro, sem dramas, sem fadiga! Aos 2 anos e 5 meses. 
Então, acabaram-se os bicos de casa! 
Acabou-se a última gota da bebê que ainda me restava.
Agora é de fato, uma criança que toma decisões definitivas!
(Respire fundo, Renata!)

segunda-feira, 31 de agosto de 2015








A Liz estava pedindo para ir à fazenda já fazia uns dias.
Sábado, o Luiz chegou ainda de manhã de uma reunião e perguntou:
- Vamos para a fazenda"
Foi uma alegria só. Saímos em uma hora - até arrumar mini-malas e tomar banho.
E chegamos para o almoço. Aproveitamos a tarde inteeeeira em torno dos animaizinhos fofos, a Liz não parou um segundo. Era do curral para o galinheiro, para os bezerros, os carneiros,os cavalos, a horta, o pomar, a varanda, os cachorros, os pintinhos na incubadora, os franguinhos maiorizinhos, o colo da vovó, da bisa, do biso, pão de queijo quentinho e caseiro, pudim, sopa, leite no copo (faz alguns dias que a Liz deixou por livre e espontânea vontade, a mamadeira. Logo faço um post sobre isso)...
Terra, folhas, "cheiro de galinha", como dizia a Lilica, cheiro de curral, a lua cheia, o barulhinho noturno da fazenda, a imensidão do verde de uma natureza sem medidas!!!
Caminhão do leite, trator, gado pastando, passarinhos aos montes cantando, lagartinhos...
Represa, peixe, bambuzal, sombra, vento uivando nos bambus, cerca, mata-burro, jacaré, galinha avisando que botou, a Liz vivendo tudo isso a cada dois segundos, fortemente!!
Me faz lembrar a minha infância. A minha, dos meus irmãos e primos. Crescemos nesse meio. Era fazenda todos os finais de semana e durante quase os trinta dias das férias letivas.
Longas tardes em cima de um cavalo, trotando e correndo estradas afora.
Banho no chuveiro baiano (só quem é de roça sabe, rs...), abates, carrapatos no corpo inteiro, picnics no morro....
Tantas lembranças!!!
E para quem cresce com esse privilégio, chega na adolescência, já não se interessa tanto. O mundo urbano vai nos chamando a viver mais cá que lá.
A gente perde um pouco o gosto por estar no meio do mato. É natural para quem convive bastante.
Nada mais passa a ser novidade.
E só depois que a gente tem filho, é que voltamos a dar valor nas tardes infinitas que são as tardes em uma fazenda.
As crianças gostam verdadeiramente desse universo.
A Liz entra num estado de êxtase absoluto quando chega lá.
É tão forte que ela dorme a viagem inteira. E é parar o carro na porteira de entrada, os olhinhos dela se arregalam e ela pergunta com o peito explodindo de felicidade, se a gente chegou.
Quando falamos que sim, ela repete sem acreditar naquele sonho: "Chegamos, papai e mamãe".
Passei a encontrar novidades até nas coisas que não me eram mais novidades.
Passei a ver de novo, aquele mundo, com o olhar de antes.
Meus olhos voltaram à infância, graças à minha filha!!!
E eu te agradeço tanto, Liz!!!
Você é tão apaixonada pelo mato, pelos animais...não tem medo de chegar perto dos grandes, põe a mãozinha sem titubear na boca do cavalo, alimenta os animais pelas suas mãos, gosta e pede para tocar em todos!!!
Você diz que a vacas sorriem quando você sorri para elas, que as árvores dão tchau, que o céu manda beijo, que os bezerrinhos te chamam.
E eu acredito nisso cegamente, pois só eu e o papai sabemos como sua ligação com a natureza é especial!!!
Obrigada por me devolver a esse mundo, de onde eu nunca deveria ter saído!!


" Um bom jardineiro fará o que for preciso para ajudar uma vinha a dar frutos...
Amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fé, gentileza e autocontrole...
Ele irá podar e cortar qualquer coisa que interfira..."

João. 15:16




Ainda sobre essa música aí embaixo, eu não podia deixar de gravar aqui, como a Liz fica feliz ao escutá-la. Ela canta bem forte " felicidaaaade" e pede para que eu também cante: "canta felicidade, mamãe".
Eu praticamente morro e volto a viver!!
=)

segunda-feira, 24 de agosto de 2015


"Felicidade é viver na sua companhia.
Felicidade é estar contigo todo dia.
Felicidade é sentir o cheiro dessa flor.
Felicidade é saber que eu tenho o seu amor.
Felicidade é saber de verdade que a gente sente saudade quando não consegue se ver.
Felicidade é acordar do seu lado, tomar um café reforçado, depois sair pra correr  com você..."


sexta-feira, 21 de agosto de 2015





Hoje comecei um projeto novo, que há muito tempo só existia dentro da minha gavetinha lunática!!
Estou animada!!
Fé em Deus e pé na tábua!!
;)

segunda-feira, 17 de agosto de 2015



Sol nascente, ventinho geladinho e eu fazendo o almoço (ahan). Quanto mais cedo se faz,mais tempo de manhã se tem.
Corta cebola, pica alho, prepara leite com cereal pra Liz, coloca ração pra Petit, mexe o feijão, tempera a carne, vai lavando a louça...tudo ao mesmo tempo, e parando a cada dez minutos para dar atenção pra Lilica.
Tudo pronto, vamos levar a Petit ao Pet Shop.
Voltamos. Banho! Já coloco meu uniforme da escola às 10 da manhã, porque sei que sendo mãe e dona-de -casa, será meu único momento, de vinte minutos de por uma roupa e passar o protetor solar do dia inteiro.
Depois, hora de ir ao ballet.
O Pet ligou, Hora de buscar a Petit.  
De volta pra casa, passar a Lili no banho de novo porque o calor na rua está cruel, almoçar, colocar o uniforme, preparar suco pra montar a lancheira, arrumar a mochila, por tarefa de casa na pasta, fazer um rabo de cavalo bem feito na minha pequena,calçar os tênis, escovar os dentes, ir para a escola.
Trabalhar. Ela, estudar!
Fim da tarde, sinal tocou.
Buscar minha Liz, voltar pra casa conversando todas as nossas novidades da tarde.
Chegar, relaxar no sofá e se agarrar para matar a saudade de algumas horas separadas.
Entrar no banho para se limpar e brincar.
Sair cheirosa para jantar. Mamar.
Escovar os dentes.
Ler.
Rezar.
Dormir!!

Segunda-feira de pura VIDA!!!
Obrigada,Pai do céu!

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Cântico dos cânticos



"...O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta..."
1 Coríntios 13:4-7

"...Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor..."
1 Coríntios 13:13

"...Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil..."
1 Coríntios 15:58

 "...Façam tudo com amor..."



sexta-feira, 7 de agosto de 2015



- Olha o caminhão, papai!
"No seu pertinho"

(Suspiros de fofura)

segunda-feira, 3 de agosto de 2015




Um flagra num momento com Deus!
Ontem, na paróquia Santa Ângela.



"...verbum caro factum est
verbum panis factum est..."





Dia memorável na escola.
Volta às aulas e ganhei dois lindos parabéns cantados!
Um foi na copinha dos professores. Olhinhos  brilhando na minha direção e sorrisos largos me fazendo aquela surpresa .
O outro parabéns, tão especial quanto, foi tocado no piano do tio Éder, com as lindas vozes de um coral sem igual!! As crianças!! Vozezinhas frágeis e finas e ao final, aquele amontoado de corpinhos vindo me abraçar e beijar com o maior carinho do mundo.
Só Deus sabe como sou realizada de estar ali, no Santa Úrsula!




Estou ensaiando essa postagem há muito tempo. Sempre pensando em falar sobre esse assunto por aqui, mas sempre sem muito tempo, sem prioridade e oportunidade pra falar.
Sábado, a vontade de discorrer esse tópico falou mais alto, então resolvi finalmente vir fazer esse post.
Faz exatos oito meses que me desliguei do facebook. Oito meses e parece que faz oito anos! Virou uma realidade muito distante pra mim, que vocês- que têm facebook- nem imaginam quão distante se torna esse universo virtual das vidas alheias!
Eu me sinto totalmente a parte no mundo, completamente diferente da maioria que não só acessa, como não vive sem o facebook. Não consegue se desvincular dele por nada e tenta encontrar as razões mais concisas do planeta para mantê-lo: é profissional, é bom para falar com amigos que moram longe, é só para acompanhar a vida dos amigos da faculdade, é pelo facetime, é por isso, aquilo e aquilo outro! Hahahahaha, acho engraçado, porque eu também , talvez, tenha tido essas falas quando ainda tinha uma conta de facebook. Hoje percebo que são todas elas, "desculpas" bobas pra se manter ali, igual a maioria do mundo. E nem tão desculpas assim, considerando que as pessoas ADORAM o facebook. Só quem adora, se mantém nele!
E longe de mim criticar quem faça uso desse "exibidor de vidas" (hahaha). Quem usa qualquer tipo de "meio virtual" com sua devida moderação, ganha meu respeito!
Mas diante da minha experiência do lado contrário do mundo- dos que não possuem facebook- , eu nunca poderia deixar de expressar minha satisfação de ser uma minoria! E de viver na pele a vida real, tão longe, como eu falei ali em cima, da vida virtual.
Prova disso foi no sábado. As ligações e mensagens que recebi de aniversário, todas elas, sem exceção, foram as mais sinceras e lindas, porque nasceram de um desejo honesto e uma lembrança límpida, que não precisou recorrer a facebook para existir. As pessoas simplesmente sabiam e lembraram, de cabeça, que era o meu dia. Eu não precisei ler mensagens de "feliz aniversário", com fundo de obrigação porque o lembrete do face, avisou que eu fazia aniversário.
Gente, como isso é gratificante!! Sem dúvidas, recebi os mais verdadeiros votos de felicitações! Sou abençoada por isso.
E antes mesmo desse exemplo fatídico  de estar incorporada na vida real e não virtual, são outras situações, com as quais me espanto. 
Quando me desliguei do face, saí sem dar aviso e em cinco minutos desfiz a conta. Foi pá pum! hahahahahahaha....
Isso até hoje, faz com que algumas pessoas pensem que foram bloqueadas por mim, então não é raro eu escutar : "Oi! Você me bloqueou no face, não te vejo mais...", não escuto um " oi, tudo bem", mas sim essa preocupação de ter sido bloqueado lá, na rede social. O tete a tete mesmo, esse pouco importa. Se sorrio, se converso, se abraço, ainda assim, me perguntam, no meio de um abraço se eu o bloqueei. Risadíssimas!!!
A que ponto chega a "virtualidade" de um ser humano. Dando um abraço, sentindo o calor humano, ouvindo a voz, tendo uma relação humana e preocupado com a sua relação virtual com aquela pessoa. 
Quantas fotos, novidades, frases e exibições o mundo todo fica sabendo e eu não!
Que delícia!!!
Minhas amigas mesmo, entre elas, têm papos que provém do face e é muito satisfatório não saber nem do que se trata aquele assunto! Vou contra a corrente, totalmente!!
Acreditem em mim: é  fantástico ser minoria! E mais fantástico ainda estar a milhas e milhas distante do mundo virtual.
Também tenham total confiança- para os que de repente me leem, sentindo uma ponta de vontade de se desligarem dessa rede social- que por mais que vocês amem ou achem que amem fazer parte desse universo, ao se desligar, é automático ou gradual: vocês perdem o interesse! De tal maneira, que se alguém chega do seu lado falando de coisas vistas em facebook, você sai de perto porque tem preguiça de ouvir! kakakakakaka...é muito isso!
No meu caso, foi automático. Eu já estava descontente em ter um facebook. Por isso , para mim, foi uma espécie de alívio. De "me livrar de uma coisa chata", rs....
Mas para muitas pessoas, ainda pode ser uma ideia bem difícil de se pensar. A gente acha que ama e que precisa daquilo para ser feliz ou para sentir-se bem, para fazer parte do mundo, mas não funciona assim.
Quando a vida não possuía essas redes, todo mundo era feliz e fazia parte do mundo de um jeito muito mais humano e caloroso. 
Desvincular-se de um vício de modismo é como voltar a ser mais gente!
É preferir saber através do telefone, a dois,  a ler na rede social, a centenas.
É preferir lembrar de cabeça, do que lembrar de notificação.
É preferir não ver as fotos, para viver os momentos!
É preferir, enfim, estar junto, pele na pele do que "junto", tela na tela!


sábado, 1 de agosto de 2015


Não caberiam agradecimentos neste quadradinho. Precisaria de um quarteirão inteiro!
Estou realizada e repleta na data de hoje.
Despedindo-me com o último ano na casinha jovenzinha dos 20.
No próximo aniversário, vou estrear os 30 anos!
Mas hoje, são 29 anos.
Vinte e nove anos de gratidão. 
A minha vida não poderia ser mais incrível do que ela é hoje.
Deus foi e é muito maravilhoso comigo e com cada um de nós, concedendo-nos o dom da vida e das respostas maravilhosas que ela traz!
Sinto-me a pessoa mais feliz do mundo, neste minuto!
Família unida, meu irmão gêmeo junto comigo em mais um ano, um marido com quem desejei estar e viver um amor de filme,  uma filha que nem nos meus maiores e mais encantados sonhos, imaginei ter, um trabalho que eu amo, amigas que tornaram-se irmãs para mim, e uma vida baseada na alegria!
É felicidade demais!!
Obrigada, meu bom Deus!
E minha amada Nossa Senhora Aparecida!!
Obrigada, obrigada, obrigada!!

quinta-feira, 23 de julho de 2015



Das férias de julho, 2015:


São 18;16 de uma lindíssima quarta-feira e a Liliquinha dorme desde 15h30.
Raras as tardes que ela tira soneca. Depois que a nova rotina da escola dispensou a dormidinha da tarde, é bem difícil ela ter vontade de dormir. No lugar das sonecas, ficam as atividades e brincadeiras o dia todo, uma farra deliciosa!!
À noite, quando são 19h a Liz  já está sonhando com os anjinhos atéééé o dia seguinte!
Mas são férias! E nas férias, pode tudo!!
Foi - e está sendo uma longa soneca de princesa para aguentar o pique da noite, na casa da dinda!!
Daqui a pouco temos um jantarzinho lá!
Que delícia!!

quarta-feira, 22 de julho de 2015


Velha!

Com você eu aprendi que a vida traz infinitas possibilidades de ser feliz!
Aprendi que sorrir é o melhor remédio em dias cinzas.
Aprendi que ponderar antes de agir é o segredo para um momento sem remorsos.
Aprendi que a dor é uma breve passagem, que pode durar bem pouco, se a gente souber se reerguer; e reerguer-se  depende do modo como encaramos a dor: o fim ou o meio. E com você, aprendi a encarar como o meio de repensar a vida e as nossas atitudes.
Com você, aprendi a falar o dobro das bobagens que eu já falava e parecer uma eterna criança.
Com você, velhotinha,aprendi que o céu pode ser mais lindo do que ele já é.
A natureza tem mais vida que ela já tem.
Os passarinhos podem cantar  longas melodias.
O bolo que sai quentinho do forno pode ser o melhor banquete real.

Do seu lado aprendi o que é confiança absoluta em uma amiga.
Descobri que existe alma gêmea na amizade, que é possível dois corpos terem praticamente a mesma alma, com os mesmos pensamentos. Que somos mais que amigas com grandes afinidades!
"...os pensamentos mais íntimos", como você diz.
"...a mesma alma", como eu brinco.
Do seu lado, eu fico sem chinelos, sem papas na língua (odeio essa expressão,hahaha) sem receios, sem mistérios, sem cuidados, sem amarras, sem modos, sem finèsse, sem etiqueta!!! Do seu lado aprendi como é ficar completamente solta, livre, como só ficamos quando estamos com nós mesmos.
Idas e vindas e agora uma vinda definitiva.
O mar da vida te levou numa onda e me levou noutra onda. Mesmo assim, fizemos a comunicação da fumaça e  do amor de melhores amigas: a comunicação de almas!!
Logo depois, veio outra super, mega, blaster onda e te arrastou de volta para perto de mim!!
Quanta amor nosso Paizinho tem pela gente!!  Para nos unir novamente, fisicamente.
Durante o tempo em que não estivemos juntas, olhos nos olhos, o amor nunca se acabou. Nem tampouco a relação única, de sermos almas gêmeas. Era algo como "só ela me compreendia, como ninguém nunca vai me compreender", com uma sensação de saudade imensa.
Muitas coisas até poderiam ter sido diferentes, se o mar da vida não tivesse nos distanciado.
Mas hoje, o que mais importa é estarmos de volta, grudadas de corpo, alma, cabeça e coração!!
Com você, aprendi tudo isso: a lidar com as distâncias, perdas, saudade e ter a convicção de que o que é verdadeiro, não termina, não perde vínculos, nem a sua força!
Eu poderia levar horas, até dias, para tentar descrever o que você é para mim, mas vou deixar isso para os próximos anos,que nos aguardam cheios de surpresas maravilhosas!!
Enquanto isso, como é bom poder comemorar do seu ladinho, mais um aniversário seu!!
Eu desejo a você, o que desejo à Liz!!!
A vida mais feliz desse planeta!!!
Que ela continue todos os dias, sorrindo para ti e trazendo aquelas infinitas possibilidades, que você me apresentou!!
Te amo sem igual!!
Feliz 30 e poucos anos!
=)

segunda-feira, 20 de julho de 2015


Particularidades






Hoje, no horttifrutti:
Quando uma moça deixou uma goiaba cair da bancada e não pegou, a Liz disse: " moça, pega a futa, ela caiu".
Na hora, confesso que senti um pouco de vergonha. E até chamei a atenção dela.
Mas a moça realmente pegou e disse, sorrindo sem graça: "eu que sou grande em tamanho, ela pequena, mas me dá uma lição!"
Realmente!!=)
Eu não deveria ter corrigido a postura da minha filha de dois anos e meio, ensinando alguém trinta e tantos anos mais velha, a fazer a coisa certa!


Filha, você é minha lição de cada dia!
=)

terça-feira, 14 de julho de 2015


Sentimento de hoje : gratidão!!!! Obrigada, meu Deus!!


Tive um encontro  lindíssimo com a Marthinha que viveu uma experiência divina na Itália.
Pude me transportar pra lá com um simples sopro dado por ela, através de histórias riquíssimas. 
Alguém que se comunica com um mundo inteiro pela sua alegria, olhos cheios de lágrimas emocionadas, e um sorriso desmedido de gostoso. Não são necessárias, palavras! Com ela, basta a presença para uma longa conversa entre duas pessoas que falem línguas distintas. 
O mundo a acolhe plenamente...
Fiquei arrepiada quando ela se viu diante de doze sacerdotes, onde  reconheceu os doze apóstolos de Jesus e o vento veio confirmar essa visão, batendo portas de uma capela. Emocionada de saber que votos de Irmãs muito queridas, foram renovados na casa onde viveu Santa Ângela, padroeira de nosso colégio Santa Úrsula.  Juras a Deus num compromisso de fidelidade renovado e fortalecido....
Encantada com a emoção de estar frente a frente com o Papa Francisco!!
De tocar lugares sagrados, de ser querida em cada canto por onde ela passou, dela ser escolhida pela Irmã , para ser sua eterna amiga de confiança.
Martha, você me emociona muito. Desde o primeiro dia em que nós nos vimos, naquela sala dos professores lotaaaaada, quando você falou de um aluno de maneira como nunca antes ouvi  igual. Jamais tinha visto uma professora que falasse  de um amor incondicional por sua função e pelas suas crianças ....
Ali naquele momento, Deus nos colocou de frente e fez nascer uma amizade inexplicável!
Eu, trinta anos mais imatura que você, você trinta anos mais experiente do que eu e nenhuma distância de mundos entre nós.
Deus foi maravilhoso comigo por me dado de presente a confiança e amizade de um ser humano tão longe do humano e tão perto do divino!!!

Gratidão, é isso!!

quinta-feira, 9 de julho de 2015

E o segredo é: força!






Hoje tive a chance de conversar coisas lindíssimas com a fofa da Carol, mãe do Henrique de 3 meses!!Coisas que me deram força!!
Ela disse que descobriu meu blog, fazendo alguma pesquisa sobre maternidade. Que alegria!!
Fiquei assustada e ao mesmo tempo, feliz!
Assustada, porque tinha certeza que o blog estava restrito a leitores convidados.
E feliz que ela me achou, pensando em maternidade.Uma honra!!!
Fui conferir a opção de acesso ao blog e realmente, ele está todo soltinho para o mundo, hahahahaha
Decidi assim deixar, porque eu não fazia ideia de que ele poderia ser referência para um tópico tão lindo e forte!!
Que a conversa de hoje, seja meu impulso de amanhã!!
Força, força, força!!
Obrigada, Carol!!








Dois anos e cinco meses e ela é a minha verdadeira princesa!!
A minha super companheira pra lá de feminina e vaidosa!
Sem estímulo nenhum (mas com muito apoio), a Liz é apaixonada por um mundo e um jeito super feminino. Ela é viciada em fazer semanalmente as unhas, desde 1 ano. Põe batom na sua bolsa de sair, ama pulseiras, percebe claramente quando troco de brinco, se preocupa com os cabelos (cheiroso, comprido, que laço colocar), ama vestido- pede para usar.
Fala "isso é de menino, isso é de menina" e, sendo de menino, se recusa a fazer ou ver (se for um desenho). Ainda ontem, numa sala de espera de um consultório médico, ela brincou bastante tempo com um amiguinho. Mas enquanto ele falava em super heróis "combatores" do mal, ela fechava os olhos ouvindo a música do celular e dizia " sou bailarina".
Tem um jeito fofo de lidar com sentimentos, falando "ownnnn", chamando os bichinhos de "bebê", dando beijinho nas florzinhas, chamando o papai de "pinpe" (príncipe).
Agora deu para amar  ver minha foto de grávida dela e fazer disso a reprodução em brincadeira.
Ela coloca o nenê dentro da blusa e se passa por gravidinha, hahahahahaha....diz que quer ser mamãe!
Tudo é rosa ou roxo. Tudo é digno de uma princesa. Tudo é fofo ou lindo ( que lindo, mamãe). Ela conta histórias lindas, com finais felizes. Ama cozinhar comigo e troca qualquer brincadeira por estar na cozinha fazendo comidinhas cor-de-rosa.
A professora, todos os dias me fala: "Ela é muito delicada!!!" 
Nunca pensei em superestimular o sexismo. Nem pra menina, nem pra menino. Que a criança se descubra!! Mas sentir-se e amar-se meninA, veio dela. Ela é reflexo  daquilo que somos em casa. Eu, muito feminina. O papai, muito masculino. Temos claramente os interesses e hábitos bem marcados, de homem e de mulher. É isso que ela vê em casa. É isso que ela nasceu sentindo e vivendo. 
Acho a coisa mais bela desse mundo. Ela ser e exercer sua feminilidade em tudo!! E não pelo fato da feminilidade em si, mas o fato de exercer-se um ser humano com suas vontades e interesses. É de sua vontade ser e amar ser essa menininha tão fofa e delicada!!
Eu amo tanto ser mãe dessa menina!!
=)

quinta-feira, 2 de julho de 2015




Para mim, cozinhar para minha família é declarar a ela, todo o meu amor em forma de cores, texturas, sabores e lembranças. Gosto de dar o gosto da força em cada tempero. "Aquele seu feijão que tem isso...aquela sua salada diferente, aquele tomate doce por cima do seu peixe, aquele toque que você dá  naquele molho, aquela sua batata com o caldo daquela carne..." e outras coisas deliciosas de ouvir de quem se ama!
Quero ainda, ter a casa cheia de adolescentes (filhos e amigos dos filhos), pedindo aquele bolo, aquela torta, daquele jeito, com aquele creme, aquele confeito, naquela forma, com aquela cor, com aqueles mistérios  todos que nunca ninguém descobre, mas vive imaginando do que é feito e quando será novamente apreciado. Aquilo tudo que de tão simples, é tão gostoso!

Quem sabe um dia, ainda chego lá!






A letra é crucial.
A cantora é meio rockn roll e popn rock.
Mas a melodia e a voz dessa Regina acompanham meu vício em
  "Orange is the new black"

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Anjos não nos abandonam!!






Eu nunca imaginei que esse dia fosse chegar. Eu sequer acreditaria que ele chegasse, não fosses as circunstâncias repentinas.
Sei que há seis anos atrás, quando nos conhecemos na Esplanada do Teatro Pedro II, num dia chuvoso e gelado, que nos aconteceu foi amor à primeira vista. Naquele dia eu entendi o que era isso, que a gente só vê em filmes e entre casais de homem e mulher.
Nossos olhares se compreenderam e pareciam que naquele minuto, faziam uma promessa de eternidade.
Dali em diante, algumas coisas passaram, outras mudaram, mas nós nunca conseguimos ( e nem quisemos) nos desvincular.
A cada minuto,tudo o que nos unia se chamava: cumplicidade!
cumplicidade é quando você pode sumir no meio do nada e deixar em seu lugar, alguém que possa responder tudo em seu nome, até mesmo seus mais profundos sentimentos.
Sentimento é aquilo que sufoca o coração com lembranças de quem se gosta.
Gostar é ir até à geladeira e encontrar  o que mais se ama comer, gelado!
Amar é preferir estar ao lado de alguém que se quer bem, do que fazer xixi quando se está apertado, só pra não perder nem um minuto  longe daquela pessoa... 
"Aquela pessoa", geralmente é o alguém que individualiza definitivamente a espécie humana.Existem todas as pessoas do mundo inteiro. E existe você! Você é aquela pessoa!!

Você é aquela que fritou pastel pra mim.
Bolinho de chuva também.
Que me fez arrombar a porta do seu apartamento.
Que me levou pra rir num velório.
Que chorou comigo no banheiro, na virada do ano.
Que dividiu comigo planos e segredos, num dia chuvoso, na areia gelada de uma praia deserta.
Que me contou o que não podia contar, que soube o que não podia saber. Confidências!
Que me esperou durante um mês para falar que estava grávida.
Que me levou na prova do vestido  de noiva, pra me perguntar se dava pra ver a barriga.
Que me  recebeu na maternidade.
Que me deixou viver dentro da sua história.
Que confiou a mim seu próprio filho, por algumas horas até você chegar.
Que nunca na vida me magoou. Nunca na vida me  deixou ficar irritada ou decepcionada.
A única a me entender por inteiro.
Somos a prova contrária do que dizem;" Numa relação onde as pessoas não discutem, não tem amor de verdade."
Sim. Há amor de verdade e transbordando numa relação onde nunca se brigou, nem se discutiu, nem tampouco se desentendeu!!!
Basta achar um anjo com quem você, mero mortal possa se relacionar.
Eu achei o meu!!!
Você!!!

Hoje, em mais um dia chuvoso e geladinho, como no primeiro dia em que nos vimos, demos um abraço doído e difícil,numa despedida sorrateira.
Amanhã, sete de maio de 2015, você se muda para São Paulo e a nossa frequência não será mais a mesma. 
Dói pensar.
Dói olhar para trás e reviver esses seis anos tão juntas, sabendo que agora estaremos separadas por uma distância complicada.
Conforta saber que anjos nunca nos abandonam. E que nós, os protegidos, nunca os perdemos de vista!!!
Estarei sempre por aí, como você por aqui.
Aí. Aqui, ali!!! 
Para mim, o agora é toda hora e o possível é todo dia!!!
Te amo demais, minha irmã!!!

sexta-feira, 24 de abril de 2015




"When you love someone
Your heartbeat beats so loud
When you love someone
Your feet can’t feel the ground
Shining stars all seem
To congregate around your face
When you love someone
It comes back to you..."


quinta-feira, 23 de abril de 2015


2 anos e 3 meses!

- Que isso?
- O que foi, mamãe?
- Por que?
- Quem é, mamãe?( quando estou no telefone)
- Como chama?( quando nunca viu algo antes)
- Somos amigax!( morro quando ela fala isso!)
- Te amo maix (a gente brinca de quem ama mais)
- Mamãe, é a menina (ela brinca de falar ao telefone, faz falas e gestos idênticos aos meus e sempre diz que falou com uma meninA. Não pode ser meninO)

- Pufavô!
- Bigada
- Dinada.
-Di movo.
- Que vamox fazer agola? ( geralmente essa pergunta é quando acaba uma brincadeira ou  quando acorda, hahahaha)
- Onde vamox?( quando entramos no carro)

- Filme dos binquedox, mamãe ( ela pede todos os dias pra assistir um pouquinho de Toy Story). Liz e suas fases de filme. Desde bebê, ela tem paixonites que duram meses por certos filmes.

- Binquedo de montá. (quebra- cabeça)
- Petit não é cachorro.É bebê.
- Cachorrino. Ursino. Tio Fabino (nh não sai! Morro de amor!)

Essas são algumas das perolazinhas rosas que minha princesa fala setecentas vezes ao dia!!!
Como estou amando essa fase!! Ela é uma verdadeira mocinha,com quem já bato longos papos. Já é super feminina, tem seus gostos, escolhe que roupa quer usar, qual sapato combina, já está na fase de só gostar de coisa de meninA, já brinca de bater papo no telefone, falando coisas do tipo: Quer meu batom? Você tem um nenê? Sua bolsa é rosa?
A Liz é uma verdadeira menina falante, curiosa, delicada e criativa!!
Definitivamente não tenho palavras para descrever essa fase tão incrível da casinha dos dois anos!!!
=)))



No viver das relações cotidianas, como não buscar se aquecer em abraços sinceros? Em sorrisos espontâneos, em encontros onde se dividam segredos, em momentos onde as pessoas queiram estar juntas para rir, descontrair, fugir da dureza da vida?
Nessa noite quente, desse outono torto, hoje estou pensativa quanto ao calor humano!!

sábado, 4 de abril de 2015


Registros de um diazinho inesquecível!










"...se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar, que tudo era pra sempre, sem saber que o pra sempre NUNCA acaba"...

Pra nós, "pra sempre" é uma ideia que não permite finais.
Tenho certeza que estaremos sempre juntos, nós cinco (daqui uns anos nós seis, se Deus quiser),sempre buscando dias assim. Buscando viver o clima de dias assim!
Nesse dia,que foi quinta-feira pascal, fomos ao Haras e depois passamos quase que uma tarde em Brodoski. Foi delicioso e lá mesmo nós pensamos na lembrança eterna que esse dia seria!!

Coelhos fofos, bodes bravos, cantina fechada, fome, comida caseira, forno à lenha, sorvete, pracinha, casinha amarela de Portinari, "não pode tocar", mas tocamos, "tem câmera", colo para três, mãozinhas dadas, Pedro , o príncipe das princesas, "vocês são irmãs;", "eles se parecem", crianças dormindo, caça ao Dukitos de bacon, parada no posto, tomando coca-cola como nunca antes!
Risos loucos e conversas longaaasss!!!

Um dia que não podia deixar de estar aqui!!!

quarta-feira, 11 de março de 2015



Como sobreviver à saudade?
Quando ela só tinha um mês!



Meu Deus!! É tanto assunto. Por onde começar?
Acho que o melhor jeito de iniciar qualquer assunto, é abrindo o jogo! Hahahahaha...
Pensei muito em encerrar a minha conta de blog, tentando fazer backup de tudo aquilo que vivi antes .Mas confesso  que não é tão fácil assim. Aqui coloquei a minha vida, compartilhei os meus mais intensos momentos! De solteira, passei a noiva,que se casou, que viajou, que engravidou, que deu à luz, que aprendeu a artemanha de ser mãe e que logo já quer tudo de novo.Mas só a parte do engravidou para frente. Antes não. Casar de novo, só se for com o mesmo marido! Hahahahaha...
Então meu coração se colocou entre a cruz e a espada. E eu preferi sair da encruzilhada. Vamos manter! E vamos superar as dificuldades de tempo que me impedem de vir aqui. A vida não corre para quem resolver ser mãe, esposa, profissional e ainda cuidar da casa. A vida vai de jato! Mas o jeito é encontrar paradas!
Hoje driblei o fator tempo, porque a Liz dormiu cedo (rotina nova da escola= não dormir mais durante o dia e desmaiar às 19h), a casa não está lá grande coisa,mas sei que amanhã tenho uma ajudante! Ufa!! E o terceiro motivo do meu drible, foi a minha solidão. 
Hoje é dia do Luiz dar aula até tarde da noite. E sem ele,não encontrei ouvidos que pudessem me ouvir,nem olhos que pudessem me olhar,nem boca que pudesse concordar ou discordar de mim, kkkk.
Mas estou bem!!
Acho que um dos principais motivos que leva  alguém a escrever de si, é um pouco da solidçao. Não só da presença física, mas daquela sensação de estar sozinha mesmo estando a três passos de um telefone que possa ligar. Mesmo estando com um whats na mão, mesmo tendo ao lado, os mesmos rostinhos meigos de sempre, que estão prontos a te ouvir. Mas lhe falta maneira de falar tudo aquilo que você queria para ter a resposta que precisa ,ou pelo menos a atenção que você gostaria, hahahahhaa....

Papo blasê! Mas está comprovado. Uma das razões de escrever, é buscar companhia! Aqui estou tendo a companhia das palavras!!! =)
E está sendo bom!

Melhor seria estar sendo solicitada o tempo todo com um delicioso "mamãe,vem bincá" ou "mamãe, lê o livo",ou qualquer coisa dessa doce natureza chamada Liz!!!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

 Dois anos. Berçário III, novas atividades, 90 cm, 14 kg, cabelos longos, conversando direitinho ( saindo da  escola todos os dias e me detalhando tudo), uma personalidade tranquila, dócil, parecida fisicamente comigo e intelectualmente com o pai. Emocionalmente com os dois. Apaixonada por culinária, leitura, morangos e quiwis!!! Sua cor preferida é azul e não rosa. Maravilhada em cuidar de bebês, concentrada em viver situações de faz-de-conta...
E eu poderia passar dias aqui falando das peculiaridades da minha filha!!! Mas aí estaria revelando tudo aquilo que ela mesma já consegue dizer! Que assim seja!!!

#meuorgulho #feliZidade
Essa semana minha ajudante, que vem as segundas e quintas-feiras, me viu espremendo laranjas, montando sanduíche para a lancheira da escola, dando atenção pra Liz que estava fazendo desenhos para mim e a Petit, fazendo o almoço.... Tudo ao mesmo tempo. E aí ela perguntou no que eu queria ajuda. Engraçado é que desde quando ela começou a trabalhar em casa (há 2anos) , sempre deixei claro que a única coisa que ela não faria de jeito nenhum, era olhar a Liz pra mim. Não por falta de confiança. Mas porque essa função foi meu sonho desde a adolescência. Eu nunca deixaria uma pessoa exercê- la por mim..  E no que se refere a "cuidados com a Liz", entendo que fazer o lanche dela, a comida dela, cuidar das suas roupas, tudo isso está incluso na minha função mãe.  Então dei uma risadinha e só respondi:,está tudo bem.
Depois me peguei pensando que eu não só dou conta de tudo, como graças a Deus tudo sai muito bem feitinho. Meu almoço, meu jantar, minhas roupas, a lancheira, o meu tempo com a Liz...
Que além de ter que fazer  tudo isso, todos os dias, ainda conseguimos sair nós duas e resolver um monte de coisa na rua. E que quando saímos, cantamos bem alto no carro todas as musicas do frozen, que nos beijamos na fila do supermercado sem parar, que fazemos vozes malucas no banco, no açougue, que brincamos de moda nos provadores das lojas....que as pessoas olham para nós e percebem a nossa felicidade.
Minhas mãos vivem cheirando alho, meu banho vive sendo de cinco minutos, minha manhã em casa vive sendo breve, minha hora de me vestir vive sendo dez minutos antes de ir trabalhar, meus batons vivem abertos e usados por uma boquinha de coração, o rosto da minha ajudante vive espantado com a minha correria e minha decisão de não querer auxílio na função mãe, dividida com a função mãe- coZinheira . Pois isso é fato. Só quem cozinha todos os dias sabe o quanto a cozinha requer tempo e dedicação. No meu caso, foi uma opção. Quero que não só a Liz, mas toda a minha prole que vier sinta pra sempre o meu carinho  e amor maternais, mas também o sabor da comidinha da mamãe!! #priceless

E é assim que eu sei quão forte, disposta , feliz, realizada e madura a maternidade me tornou!!!!

Obrigada, meu amor!!! Minha Liz!!!