segunda-feira, 4 de março de 2013





Quarenta dias completos pós-parto!
Os quarenta dias mais difíceis, segundo todas as mães e todos os pediatras! Hahahaha...
Passaram!!
Hoje minha branquelinha faz 40 dias de vidinha e muuuita coisa já mudou desde o nascimento - como muda...
Tão pequenininha e ela já está quase dormindo a noite toda, uma fofa!!
Agora é assim: banho, mamada das 10h30 e ela só acorda 4h30 da manhã! Depois só às 8h...uma bebê linda que anda fazendo a própria rotininha.
Agora já consigo pensar em "dar uma mãozinha" nessa rotina, tentar esticar os horários, treiná-la para uma noite inteira de sono, que é tão importante para o bebê. Mas acredito que eu não vá ter trabalho quanto a isso. Daqui a pouco ela já não mamará mais às 4h30, vai direto até o nascer do sol, sozinha!
Eu nem acredito que ela mesma "estipulou" isso, rs...filha linda!
Já tenho uma bolinha branca literalmente. Como está gordinha!! Semana passada tivemos pediatra e minha boneca engordou 50 gr por dia, como assim???  3.800 kg até quinta-feira.Que delícia!! Mordo tudo!!! Hahahaha...
E agora ela mama menos tempo do que nas primeiras semanas...vinte minutinhos já sastifazem a fominha da Lilica!
Tudo vai se ajeitando, ficando redondinho no mundo maternal né?
Fato! Tudo é adaptação! Hoje meu reológio biológico já é outro, minha cabeça já pensa tudo de modo diferente, já existe em mim um sentimento marcado que se mistura a amor incondicional com culpa!
Isso mesmo! A culpa que toda mãe naturalmente carrega. Culpa de sair para fazer a sobrancelha, por exemplo e deixar a bebê 30 minutos em casa, rs...coisa mais normal e intensa do mundo!!
Sair de casa sem a Liz dói meu coração, minha alma, incomoda, é como se lá dentro de mim ficasse uma parte desintegrada, desestruturada, sem sentido...
Sábado teve aniversário da minha amiga amada Thazinha e deixar minha filha por duas horinhas (mesmo que seja com minha mãe) foi meio "avassalador". Estava ali e não estava, ao mesmo tempo!
Fica faltando o maior pedaço da gente...
Mas um dia de cada vez e até isso também vai criando uma estabilidade!! Tomara!!
Semana que vem tenho retorno médico e já estou ansiosa para saber quais atividades físicas poderei fazer. Sei que já perdi todo o meu peso ganho na gravidez pelas roupas!
Tudo o que eu usava antes já entra, uhuuuuuu!!!
Mas agora é hora de firmar mais a musculatura, que inevitavelmente depois de um parto não fica mais a mesma coisa, of course!
E não só por isso...mas está me fazendo falta me exercitar, até mesmo para ganhar ainda mais disposição e pique para aguentar a rotina pesada das 24h por dia em função da Liz. A delícia de cuidar de bebê também é uma loucura, né? Exije muito da mamãe. Inclusive voltei ao peso de antes, com certeza por causa dessa energia gasta com minha bebeia...

Sabe?
Ter um bebê cansa mesmo! Até se adaptar, são dias e mais dias de insônia, cansaço, correria, uma anulação de si mesma natural (um esquecer-se temporário e natural) para dar lugar ao bebê, dia e noite, noite e dia...mas tudo vai se acalmando! Ficando melhor, ficando tranquilo...
E até as noites não dormidas, as cólicas terríveis de quando o bebê grita...tudo isso vai ganhando um sentido e até uma história de amor e prazer!! É até difícil explicar (ainda mais para quem ainda não passou pela experiência de se mãe , de ser pai...), mas tudo tem sua compensação e acaba se tornando gostoso, até quando tem tudo para não ser nada gostoso, rs...
Não  trocaria esses últimos 40 dias da minha vida por nenhum outro antes disso, quando eu dormia a noite toda, saia sem me preocupar com a hora, ia ao salão duas vezes por semana, podia tomar três banhos de meia hora por dia, tinha um enorme tempo pra mim e etc...
A vida de mãe é infinitamente mais completa do que qualquer outra vida!!
E o tempo está passando tão rápido, minha bebê está crescendo tão depressa que dá medo de não viver cada segundo desses dias intensamente e depois morrer de saudade...
Eu olho pra Liz e já penso com saudadezinha: Cadê aquele pezinho que cabia na metade da palma da minha mão? Agora já quase não cabe mais, ficam os dedinhos para fora, hahahaha...
Cadê aquele bebê leve que não dava dor no braço da mamãe? Rs...
Cadê aqueles olhinhos que nem cílios tinham e agora estão cheios de "cilinhos" loirinhos?
Áh!! Quanta coisa muda, quanta coisa passa e acaba...

Filha, você é a maior alegria da minha vida!
Sempre, para sempre!!
Te amo sem medidas!

2 comentários:

Lilian Amorim disse...

Que delicia ler isso tudo!
É tão intenso, profundo, verdadeiro que me vi em muitos trechos do texto.
A maternidade é esse turbilhão de sentimentos e o maior deles é de que simplesmente TUDO compensa o amor que sentimos por esses serzinhos que não param de mudar, crescer, aprender...
É amor demais!!!
Bjs

Anônimo disse...

Amiga,

Não tem como não chorar com as Suas publicações. A forma como você compartilha da sua rotina é tão verdadeira, tão pura, que só me faz desejar ainda mais estar sempre ao seu lado e para sempre, te chamar de "MINHA MELHOR AMIGA" ..

Bjos
Titia Camila