terça-feira, 7 de junho de 2011



" O inverno cobre a minha cabeça, mas uma eterna primavera vive em meu coração..."

 


Impressionante como em plena estação fria, pode ter uma rua coberta de flores cor-de-rosa . Flores de uma Primavera, literalmente.
Fiquei até extasiada quando vi aquele chão passando rapidamente de carro. Não me contentei com a breve passadinha e dei a volta no quarteirão. Pena não ter a câmera naquela hora para registrar uma cena tão fofa e maravilhosa!!
Congelei na minha lembrança.
De um lado, numa calçada, dois irmãozinhos que brincavam felizes sob o olhar atento da mãe, que quando tinha uma brecha, conseguia ler seu livro...
Na outra calçada, uma funcionária de uma casa varrendo as folhas secas, tomando o maior cuidado para não levar as pétalas junto...uma delicadeza, um cuidado!!
E tanto de um lado, como do outro aquele vento mais forte do mundo, fazendo uma força contrária na vassoura e nas páginas do livro...
E mesmo assim, valia a pena estar ali, mesmo em meio ao vendaval...
Aquela rua lotada de flor compensava qualquer contratempo!!
Foi perfeito ver aquilo!!
=)

7 comentários:

R.Maria disse...

Oi Renata.
Tenho te acompanhado desde o início desse ano. Fui fazer uma pesquisa no google um dia e apareceu seu blog, não lembro o por quê. Desde então não parei mais de te ler porque acho tudo aqui muito gostoso de apreciar. Relaxa a cabeça, inspira o coração, é uma verdadeira pausa para um café num dia cheio de trabalho.
Você é muito delicada, carinhosa, poética e articula perfeitamente as palavras.
Sou professora de português e inglês também aqui em SP. Devo ter só uns dez anos a mais que você, rs...afinal você é tão jovem ainda!!=)
Mas parabenizo-te por esse dom da escrita, pois mesmo nós, professores, podemos ser expert em gramática e redação, mas a poesia do texto é nata, ou nasce assim ou não tem a sorte de vir ao mundo poeta.
Uma simples cena vira um capítulo de um livro romântico, como esta, da primavera em pleno inverno.
Vou te acompanhar sempre e quem sabe eu crie coragem de fazer um blog também, em qualquer pausa dessas...
Beijos.
Regina Maria.

R.Maria disse...

E como o dom da poesia é nato, seu nome faz jus ao que és: Re NATA...
Sem te conhecer, sinto que és meiga, frágil, sincera, cautelosa, pé no chão, sem deixar os sonhos colorirem sua vida, que por sinal, é toda rosinha!!!

Ju Silva Alves disse...

Amiga, lindo ver como você transforma coisas simples em especiais...Já me imaginei nessa rua vendo as crianças,as flores e sentindo esse ventinho forte que está rondando nossa cidade hoje. Parabéns pelo seu dom!
Post perfeito, como sempre *.*

Renata G.F. Scarpino disse...

Coleeague!!Que honra receber essa visita especial!!
Adorei seus comentários que também chegaram sinceros e proveitosos!!
Continue sempre por aqui, pois será uma satisfação imensa. E assim, espero em breve poder ver sua criação também. Da mesma maneira, sem ser apenas por reciprocidade mas também por um gosto mais que certo de existir, serei sua leitora assídua, nas pausas e na correria do dia-a-dia. =)
Um beijão!!!

Renata G.F. Scarpino disse...

Jú, não basta que eu saiba como transformar as palavras, é preciso que os olhos saibam lê-las com ternura e simplicidade para que sejam bonitas!!
Então, seus olhos são tenros e doces, por isso me leem assim.
Beijos, flor!

Lilian Amorim disse...

Rê, a sua colega disse tudoooo!!!
Vc é perfeita em nos fazer viajar através do que escreve.
Consegui visualizar toda a beleza desta cena...
Isso é dom mesmo :)
Adoro te ler!
Beijinhos

Renata G.F. Scarpino disse...

Liiii!!!
Acabei de te mandar um e-mail, hehehe...
Coincidência!!!
Obrigada, amiga!!
Também adoro ler você e o Davi lindo!!
Beijos!!!