quinta-feira, 3 de março de 2011






Amei a reportagem da Revista Época sobre alimentação infantil correta.
Tarefa dificílima, mas completamente possível de ser realizada. Seria ótimo que os pais tomassem consciência disso e não desistissem na primeira birra, até porque é um trabalho contínuo, que se estende na escola também. É muito complicado para nós educadores convencermos as crianças de que verdura é saborosa e ricamente importante se em casa, ela já foi "aliviada" do cardápio.
Existem os psicólogos que podem ajudar pais e filhos nessa habilidade. Acho extremamente proveitoso!!!

Abaixo, separei algumas regrinhas que funcionam, segundo a reportagem, na hora de fazer os pequenos seres comerem direitinho:

1) Apresentar desde cedo os alimentos separados, para que o bebê sinta os sabores diferenciados;
2) Apresentar os alimentos com estética;
3) Ter horários bem determinados para a alimentação, criando hábitos; e não substituir o horário se a criança não comer;
4) Não proibir nenhum alimento simplesmente porque não é nutritivo. Deixe a criança provar, mas tem que provar de tudo;
5) Não enfrente a criança se ela não quer comer; você não conseguirá nada se ela não quiser;
6) Mude o tempero e a forma dos alimentos que ela não gostou, pode estar no tempero a falta de aceitação da criança;
7) Não aceite as chantagens das crianças, não prometa prêmios. Alimentação é algo totalmente normal e deve ganhar regularidade;
8) A hora da alimentação deve ganhar um ritual, não deve ter outras fontes de atenção (TV, filmes, jogos, aviãozinho, brinquedos). Hora de comer;
9) Deixar o mais cedo possível a criança se alimentar sozinha, pelas próprias mãos;
10) Ter sempre companhia nas horas da alimentação (família ou amigos na escola);
11) Regular a quantidade de alimentos. Coloque o que você acha razoável, mas a criança deve regular a quantidade necessária através da ingestão, não fique insistindo para que coma mais;
12) Nunca use a sobremesa como prêmio. Dê a ele mesmo que não tenha comido o alimento por você selecionado, mas na quantidade certa (pouco);
13) Leve a criança ao mercado para comprar os alimentos, e posteriormente a cozinha para processá-los. É uma vivência muito importante;
14) Não dê alimentos a criança dormindo, apenas para suprir deficiências que estão na sua cabeça;
15) Nunca pergunte o que a criança quer comer; ela não tem como fazer esta escolha e fica nos mesmos alimentos. Só os adolescentes podem fazer escolha;
16) Varie ao máximo os alimentos que oferece a criança. A coloração dos alimentos também é muito importante.
"São sugestões para acompanhar o desenvolvimento das crianças quanto à alimentação. Não faça da limentação uma guerra."
Vale a pena tentar!!
=)

3 comentários:

karina disse...

Rê, quando vc tiver seus filhos vai ser moleza essas questões pra vc neh? Sempre vejo vc falando sobre educação infantil, sobre hábitos e vc sempre inteirada do assunto, fazendo curso, facu...qdo eu tiver o meu baby vou pegar aulinhas com vc, rsrsrs...
É incrível vc é a pessoa que mais lê sobre isso e sabe td...parabensssss

adorei a reportagem vou repassar pra minha irmã. Coitada, a isabella ta dando febre nela...bjsssss

Renata G.F. Scarpino disse...

Vixe Ká, falta muito pra ser expert no assunto, hahaha...quem me dera!!!


A Isa deve estar enorme!!Que fofa!!
Saudade de vocês!!!
Beijão!

Lilian Amorim disse...

Nossa Rê,
Tô fazendo algumas coisinhas errada...rs
Por exemplo:
- em casa a TV sempre está ligada na hora do almoço.
- Tenho a maior dificuldade em deixá-lo comer sozinho. Confesso que fico pensando na sujeira...rs
- Tenho o hábito de misturar toda a comida. Dá para imaginar como fica estéticamente, né?

Graças a Deus até agora o Davi não me deu problemas com alimentação. Ele traça tudoooo! Come tudo quanto é verdura, legume...Até salada de rúcula esses dias ofereci e ele comeu, acredita? rs Só não ofereci jiló e nem quiabo, mas acho que se der ele come, viu! kkkkkkk

As dicas são ótimas :)

Beijão querida