quinta-feira, 5 de agosto de 2010



Quando eu tinha uns 5 anos, comecei a entender e praticar a vaidade.
Nada excessivo ou fora da realidade da minha idade de criança, mas já começava a querer me cuidar, como via minha mãe fazendo.
Fiz as unhas e passei batom pra sair de casa de cor clarinha, aos 8 anos...
E desde o começo dessas descobertas de menininha, minha maior paixão em mim, era meu cabelo!!
Seeeeeempre usei cabelo comprido, porque minha mãe gostava. E depois, claro, eu também adorava.
Quando criança, ele era liso e não tinha tanto volume. Fui crescendo, ele ondulou e dobrou de volume.
Aos 12 anos, mais ou menos, por modismo e precipitação, eu quis cortar chanel.
Chorei por meses!!! Até me conformar e saber ficar mocinha, de cabelo curtinho também.
Minha mãe passava a mão no meu cabelo, toda noite antes de dormir, até eu pegar no sono.
Na escola, minhas amigas faziam tranças, rabos de cavalo, coques...eu adorava!!! Dava um soninho gostoso...
Meu avô, meu tudo nessa vida, falava toda vez: "VOCÊ NUNCA VAI CORTAR ESSE CABELO, RENATINHA ..."
A riqueza maior do meu avô era o meu cabelão...ele tinha verdadeiro amor por ele!! Hahaha...lindo! Tanto que, quando cortei as madeixas que batiam na cintura, ele sofreu arduosamente junto comigo. Nunca me esqueço!!
Depois que meus louros cabelos cresceram novamente, nunca mais aderi ao corte curto. Sempre médio para comprido. O bom disso tudo, é que ele cresce muuuuuuuuuuito rápido. Quase não vejo o corte.
Ontem, como há muito tempo não acontecia, minha mãe fez carinho no cabelão, pra eu dormir!!
Não sei como explicar aquele momento.
Só sei que voltei a ser criança por uns minutos, relembrando as carícias de quando eu era apenas uma menininha. Ao mesmo tempo, como estamos sensíveis com o meu casamento, me deu uma saudade, antes mesmo de sair de casa e ir morar com meu "marido".
Era como se fosse a última vez que eu fosse estar tão pertinho da minha mãezinha.
Que vontade de chorar que deu...
Mas felizmente, o sono veio rapidinho e assim como quando eu era criança, nem percebi a hora que ela deixou o quarto, apagou as luzes e fechou a porta.
Meu cabelo, de certa forma, é aquilo que traz as melhores lembranças para nós duas: o começo da vaidade, os motivos pra sair e comprar tiaras, o carinho pra soneca, a alegria dos olhos do meu avô e hoje em dia, a paixão verdadeira do Luiz. Eu acordo descabelada e ele diz:
-Cabelo lindo da minha vida!!! Hehehehe...
Ainda bem que o cabelo é grande, né? Tem pra todo mundo!!
Hahahahahaha...




3 comentários:

Camila disse...

Sou louca pela trança embutida que sua mãe faz... Será que ela quer fazer em mim? rs ...

PS. Seu cabelo é lindooo, barbie!!

Ana Paula disse...

Que lindo Re. É tão bom ter boas memórias da infância né...... Tb adoro cabelo comprido....Seu cabelo é realmente muito bonito!!!!
Bjoooooo

Lilian Amorim disse...

Fiquei emocionada Rê, principalmente na hora em que sua mãe começou a fazer carinho e vc sentiu vontade de chorar. Quando vai chegando pertinho do casamento as emoções vão ficando a flor da pele.
Seu cabelo é lindo!!!!!
Beijão