terça-feira, 30 de junho de 2009

"Nenhum homem acredita piamente em nenhum outro homem. Pode-se acreditar piamente numa ideia, mas não num homem. No mais alto grau de confiança que ele pode despertar, haverá sempre o aroma da dúvida – uma sensação meio instintiva e meio lógica de que, no fim das contas, o vigarista deve ter um ás escondido na manga. Esta dúvida, como parece óbvio, é sempre mais do que justificada, porque ainda não nasceu o homem merecedor de confiança ilimitada – a sua traição, no máximo, espera apenas por uma tentação suficiente..."
Henry Mencken, in 'O Livro dos Insultos (1920)

É gente, eu sou uma pessoa que fala muito, fala pelos cotovelos com todo mundo. Confio TUDO às pessoas que acho que são amigas e/ou confiáveis. Mas não é bem assim...
Eu preciso aprender a ficar mais calada e me trancar mais!
Trancada, não corro nenhum risco de dar bom dia a cavalo, hehehe...
Apenas uma reflexão!


Trancado
"Eu tranco a porta
Pra todas as mentiras
E a verdade também está lá fora
Agora a porta está trancada

A porta fechada
Me lembra você a toda hora
A hora me lembra o tempo que se perdeu
Perder é não ter a bússola
É não ter aquilo que era seu
E o que você quer?
Orientação?

Eu tranco a porta pra todos os gritos
E o silêncio também está lá fora
Agora a porta está trancada
Eu pulo as janelas
Será que eu tô trancado aqui dentro?
Será que você tá trancado lá fora?
Será que eu ainda te desoriento?
Será que as perguntas são certas?
Então eu me tranco em você
E deixo as portas abertas

Eu pulo as janelas
Será que eu tô trancado aqui dentro?
Será que você tá trancado lá fora?
Será que eu ainda te desoriento?
Será que as perguntas são certas?
Então eu me tranco em você
Eu me tranco em você
E deixo as portas abertas..."

Um comentário:

Anônimo disse...

professora se algum dia a senhora se sentir triste saiba que vc pode confiar em mim pq sempre enchugarei suas lagrimas eu te amo mto tamires.